LANDR BLOG

Teoria musical

O que é Melodia na Música? Como Usar a Melodia em Suas Composições

O que é Melodia na Música? Como Usar a Melodia em Suas Composições

Pense na sua música favorita.

Que parte dela se destaca na sua memória? A progressão de acordes? A linha do baixo?  ? Provavelmente, é a melodia.

As melodias são a parte mais memorável e importante de uma música. Mas elas também são as mais difíceis de compor.

Criar grandes melodias é um desafio, porque parece que tudo já foi feito antes. Não se preocupe, isso não é verdade.

Há um universo de novas e incríveis melodias esperando para serem escritas. Você apenas tem que conhecer a teoria e fazer e correr atrás para encontrá-las.

Hoje, mostrarei a você o que são melodias, por que elas ficam no seu cérebro e as ferramentas que você precisa para escrevê-las.

O que são melodias?

A melodia é uma sequência linear de notas que o ouvinte ouve como uma entidade única. A melodia de uma música é o primeiro plano para os elementos de apoio e é uma combinação de tom e ritmo. Sequências de notas que compõem uma melodia são musicalmente satisfatórias e são muitas vezes a parte mais memorável de uma música.

A melodia é uma sequência linear de notas que o ouvinte ouve como uma entidade única.

Quando você canta “Parabéns” para o seu tio-avô, você está cantando uma melodia.

De refrões cativantes a riffs de guitarra contagiantes, as melodias definem a música que você conhece e adora porque elas são a parte da música da qual você provavelmente mais se lembra. Assim, as melodias são cruciais em todas as formas de música.

https://blog.landr.com/wp-content/uploads/2019/05/1-MelodiesInYourMusic_1200x627_2.jpg

As melodias são produzidas através da voz humana e de qualquer outro instrumento que produza tons – marimbas, flautas, sintetizadores, guitarras, etc.

Lembre-se, há uma diferença entre harmonia e melodia: uma melodia se transforma em harmonia quando notas completamente diferentes são empilhadas acima ou abaixo dela e são reproduzidas ao mesmo tempo. É assim que harmonias de acordes, vocais e instrumentais são construídas.

Ao começar a escrever suas próprias melodias, é importante lembrar que as melodias são linhas lineares de notas únicas.

Como usar melodias na sua música

Pense nas suas melodias como uma cena em um filme ou peça. Seus acordes criam a cena e as melodias são os personagens no centro do palco que contam a história.

Uma boa melodia capta e prende a atenção do seu ouvinte. Compositores e liricistas usam melodias em sua música para contar histórias e dar ao público algo para lembrar e se conectar.

Compositores e liricistas usam melodias em sua música para contar histórias e dar ao público algo para lembrar e se conectar.

A maneira mais óbvia de usar melodias na música é através das linhas vocais em verso, refrão e ponte, mas as melodias instrumentais são também importantes.

Veja alguns tipos diferentes de melodias que mostram como a melodia funciona nas músicas:

1. Melodias instrumentais

As melodias instrumentais são produzidas em instrumentos temperados. Partes como riffs, solos e material musical que respondem aos vocais de uma música são exemplos de melodias instrumentais.

A melodia da guitarra na introdução de “There She Goes”, do The La’s, é um ótimo exemplo de como melodias instrumentais podem ser importantes:

A introdução da orquestra de cordas abafada em “At Last”, de Etta James, é outra grande melodia instrumental:

A melodia da guitarra de Wye Oak, “The Louder I Call The Faster It Runs”, também é cativante:

2. Melodias vocais

Quando se trata de música popular, nada é mais definidor do que melodias vocais.

Quando se trata de música popular, nada é mais definidor do que melodias vocais.

Todos os aspectos da música podem se conectar com os ouvintes, mas os vocais são as partes mais humanas e relacionáveis das músicas.

Cantada aqui por Israel “IZ” Kamakawiwoʻole, “Somewhere Over The Rainbow” apresenta uma das melodias vocais mais assombrosamente belas da música:

A melodia vocal de “Fear and Force”, de Vagabon, é outro grande exemplo:



Agora que você sabe o que são as melodias, como você cria as suas próprias?

Veja 3 dicas cruciais para escrever melodias:

1. Comece cantando ou tocando em cima de uma simples progressão de acordes

Escolha dois acordes principais básicos, como C ou F. Se você precisar de uma ajuda, veja como criar acordes.

Toque seus acordes em um instrumento como um piano ou violão, ou conecte-os ao rolo de piano do seu DAW e faça loops repetidamente com um bom sintetizador VST.

Então, cante ou toque seu instrumento com o objetivo de escrever uma melodia. Certifique-se de que seu dispositivo de gravação básico esteja pronto para capturar o que você deseja durante o processo de criação de melodia.

https://blog.landr.com/wp-content/uploads/2019/05/3-WriteGreatMelodies-ThereSheGoes_1200x627.jpg

Dê a si mesmo muito tempo e espaço para experimentar ideias diferentes aqui. Melodias se beneficiam de congestionamentos estendidos.

Se você é um vocalista, considere começar seu processo cantando qualquer tipo de som.

Sim, você leu certo. Embora isso possa enlouquecer os seus vizinhos, é melhor criar uma melodia vocal do zero, sem regras ou limites predeterminados para se delimitar, como letras, por exemplo.

Experimente com os mesmos acordes em loop por tempo suficiente e, em breve, você descobrirá que os sons sem sentido tomam forma em palavras, frases e melodias.

2. Dê vida às suas melodias ressaltando interessantes ritmos e acentos

“Elephant”, de Tame Impala, é uma prova de como os ritmos contagiantes podem fazer com que melodias sem graça sejam memoráveis.

O núcleo do verso é composto de apenas duas notas. Mas com o uso da sincopagem, ela consegue ficar cativante e memorável.


Mesmo a melodia mais simples pode se beneficiar do uso de ritmos inesperados ou incomuns.

Mesmo a melodia mais simples pode se beneficiar do uso de ritmos inesperados ou incomuns.

Se você estiver escrevendo uma melodia complexa que ainda soa “bleh”, tente simplificar e experimentar como suas notas são apresentadas ritmicamente.

Aventure-se aqui mudando a maneira como suas notas fluem – de batidas fortes diretamente para suavizações.

Se você achar que suas melodias sempre começam na batida de 1, tente fazer com que elas comecem um pouco antes ou depois. Mesmo uma pequena mudança no ritmo pode transformar uma melodia de maneira sutil, mas fundamental.

3. Preste muita atenção no seu contorno melódico

O contorno melódico é a forma geral da linha que a sua melodia traça à medida que se move para cima e para baixo.

Linhas melódicas podem se mover de algumas maneiras diferentes.

Movimento por passo (ou movimento em etapas) é quando uma melodia se move por notas consecutivas na escala.

O movimento por passo é quando uma melodia se move por notas consecutivas na escala.

Movimento por pulo é quando uma melodia se move em intervalos maiores que um segundo.

Muitos grandes saltos consecutivos são mais difíceis de conectar como uma única unidade melódica.

E uma melodia composta apenas por movimento gradual muitas vezes não é muito interessante para o ouvinte.

Tente equilibrar a quantidade de passos e pulos para que sua melodia continue fresca e excitante.

Dica: é mais fácil usar pulos maiores em suas melodias se você as preencher, pelo menos parcialmente, ao passo na direção oposta.

Se você conseguir, escreva as melodias que está compondo através de notação musical no papel. Se você está na sua DAW, geralmente há uma maneira de transformar as notas MIDI em notação musical.

Se a distância entre as notas das suas melodias parece pequena, é seguro assumir que a sua melodia não criará uma narrativa e não será tão atraente.

Uma das razões pelas quais “Somewhere Over The Rainbow” é uma melodia tão fenomenal, é que ela abre com um grande 7º intervalo. Se suas melodias soam tímidas e não estão causando o efeito necessário, experimente expandi-las em montanhas.

4. Delineie a harmonia, sempre que possível

Não existe melodia no vácuo. Há sempre um importante equilíbrio entre a sua melodia e a sua harmonia subjacente.

Muitas das melhores melodias de todos os tempos obtêm seu poder da maneira como se fundem graciosamente com a harmonia da música.

Muitas das melhores melodias de todos os tempos obtêm seu poder da maneira como se fundem graciosamente com a harmonia da música.

Lembre-se de que os tons de acordes (graus de escala 1,3,5,7) são os lugares mais poderosos e estáveis ​​de se aterrissar.

Prestar atenção à forma como você tece sua melodia de um acorde para o seguinte, à medida que sua harmonia se desenvolve, é vital para a composição de uma boa melodia.

Tente, tente e tente de novo

https://blog.landr.com/wp-content/uploads/2019/05/4-Try_time_1200x627.jpg

Ser capaz de escrever boas melodias não é uma habilidade que pode ser desenvolvida da noite para o dia. É algo que você precisará trabalhar ao longo do tempo para melhorar.

Se você pensa que está trabalhando duro para escrever melodias, mas sem muito sucesso, lembre-se que há muitos outros músicos na mesma situação.

Os melhores compositores do mundo não acordaram um dia com a habilidade de criar grandes melodias. Eles trabalharam nisso, tentando e reprovando de novo e de novo até que começaram a acertar.

Aproximar-se da escrita de melodia com uma atitude experimental, livre de expectativas, te dá a melhor chance de criar algo com o qual seus ouvintes irão ressoar.