LANDR BLOG

Criação de batidas

Chimbais de Trap: Quatro Técnicas de Chimbal Que Todo Produtor de Trap Utiliza

Chimbais de Trap: Quatro Técnicas de Chimbal Que Todo Produtor de Trap Utiliza

Os chimbais (hi-hats) do Trap são facilmente reconhecíveis.

Basta caminhar por uma rua movimentada e você os ouvirá tocando no carro de alguém.

Eles são rápidos e ritmicamente complexos, então é preciso um pouco de prática para reproduzi-los do jeito certo.

A inspiração é estimulada quando encontramos um som de chimbal de Trap úautêntico – subgêneros inteiros do Trap, como o Drill e o Footwork, foram concebidos a partir de vairações rítmicas, de velocidade e de tom dos chimbais do Trap.

Neste artigo, abordaremos as qualidades rítmicas comumente ouvidas em chimbais do trap, como criá-los em seu DAW e como ser criativo com os chimbais em seus próprios beats.

Acompanha para fazermos um beat juntos! Eis aqui uma excelente coletânea de chimbais de Trap selecionados.



Princípios básicos do chimbais de trap – tercinas, Rolls, tom e swing

A linha divisória que separa os chimbais de trap dos chimbais de hip-hop reside no nível de complexidade.

Tercinas, Rolls, tom e swing: essas são as quatro as ideias rítmicas não usuais no hip-hop old school.

Tercinas, Rolls, tom e swing: essas são as quatro as ideias rítmicas não usuais no hip-hop old school.

As tercinas expandem o beat adicionando uma nota extra para criar frases rítmicas em três.

Esse é o fato que dá aos chimbais de Trap seu aspecto envolvente e dinâmico.

Os Rolls mas aumentam a velocidade da tercina ao dobrar ou triplicar o valor da nota.

Colocar um roll no lugar certo pode ajudar a dinamizar o beat e criar ritmos complexos e interessantes.

O Swing é utilizado em no Trap para pegar aquelas partes de um beat que são escritas em pares (UM-dois) e fazer com que elas se ajustem às tercinas.

A automação de tom é utilizada para aumentar ou diminuir o tom dos chimbais, eles são utilizados ​​com mais frequência para acentuar os Rolls.

Ao dominar os quatro conceitos básicos dos chimbais de Trap – tercinas, Rolls, tom e swing, você terá os ingredientes necessários a sua disposição para conceber beats de Traps autênticos.

Tercinas aplicadas ao Trap

Para aprender como os chimbais de Trap funcionam, é bastante útil saber sobre os fundamentos da teoria rítmica.

Em suma, as tercinas são grupos de notas que são “sentidas” em três em vez de dois.

Em suma, as tercinas são grupos de notas que são “sentidas” em três em vez de dois.

Boa parte do hip-hop dos anos 90 e do início dos anos 2000, com algumas exceções, baseia-se naquela sensação de “um-dois”.

Faz sentido, já que muitos samples de hip-hop vieram de gêneros que se baseados no “um-dois” e na síncope nas semicolcheias.

A Trap music atual pega essa sensação “um-dois” e a altera adicionando com adição de tercinas.

É assim que soa a sensação “um-dois” e como ela é representada em um editor de DAW.

trap hats eighth notes

Observe que utilizamos uma visualização de semicolcheia no grid inferior, no Ableton isso é representado pelo valor de nota 1/16 no canto inferior direito.

Cada retângulo na grid representa uma única semicolcheia, então, como estamos utilizando notas apenas em todos os outros retângulos, essas notas são chamadas de colcheias.

Adicionamos uma parte de bumbo e caixa ao ritmo do chimbal para ajudar a enquadrar o beat. Eis como ele soa até agora.

Bastante simples, certo?

Os chimbais de Trap pegam aquele UM – e, DOIS – e, TRÊS – e, QUATRO – e adicionam notas extras a algumas das duplas.

Umo beat de chimbais de trap pode adicionar duas notas para formar duas tercinas em um compasso. Por exemplo– UM-e, DOIS-e-a, TRÊS-e-a, QUATRO-e.

É assim que aparece no DAW.

trap hats eighth note triplets

Percebeu os grupos mais curtos de três? Esses são as tercinas!

Para fazer tercinas no editor do seu DAW assegure-se de que você está na grid de tercinas.

Neste caso, estou usando uma grid de tercinas de semicolcheia, representada por um marcador 1/16T no canto inferior direito.

Com os novas tercinas, é assim que o nosso beat soa agora:

 

Elevando a pulsação

Legal, temos um pequeno padrão de tercinas agradável. Agora é hora de adicionar dinâmica.

Um dos aspectos mais inovadores da trap music atual são os chimbais “rolantes” que você ouve em subgêneros como no drill e no footwork.

A chave para obter os Rolls certos é colocá-los em lugares ritmicamente apropriados, onde complementem o pulso do beat.

A chave para obter os Rolls certos é colocá-los em lugares ritmicamente apropriados, onde complementem o pulso do beat.

Para alguns, os chimbais de Trap podem parecer aleatórios e esporádicos. Mas se você ouvir atentamente, você pode identificar quais são os beats que o produtor deseja acentuar com o roll.

Claro, existem muitas maneiras de utilizar os Rolls para acentuar diferentes beats!

Nesse beat, utilizarei um roll para enfatizar a nota inicial (beat um) do meu loop de bateria, adicionando um roll bem no final.

Certificando-se de que a grid do meu editor DAW está agora em uma grid na trigésima segunda tercina ainda mais curta, vamos adicionar uma linha de roll e preencher a última seção de semínima completa do beat.

É assim que soa no DAW.

trap hats daw 32nd note roll

Para tornar o beat mais rítmico e menos agressivo aos ouvidos, acrescentamos um pequeno crescendo de volume no roll.

Para tornar o beat mais rítmico e menos agressivo aos ouvidos, acrescentamos um pequeno crescendo de volume no roll.

Este crescendo faz um bom trabalho ao acelerar o roll em direção ao beat um do loop, que deve ser enfatizado para dinamizar a pulsação.

Você pode visualizar o crescendo com os marcadores de volume vermelhos que controlam o nível de cada beat.

Eis como o beat soa com um roll.

 

Adicione um pouco de “swing de DAW”

Temos algumas tercinas e um roll excepcional no final do beat. Isso é ótimo, mas ainda falta algo.

Talvez esse beat ainda soe muito robótico.

Adicionar um pouco de “swing DAW” aos chimbais de Trap é um bom caminho. Isso ajudará os grupos duplos a se encaixar e complementar as seções baseadas em tercinas.

Mas essa é uma questão de gosto principal. Alguns produtores adoram utilizar beats crus e diretos, sem nenhum swing.

Aqui está como a nossa faixa soa com um pouco de “swing de DAW”.

Ser criativo com tom, samples e vocais

Com tercinas, Rolls e swing, você tem as ferramentas básicas para fazer chimbais de Trap.

E isso é apenas o começo.

Você pode alterar seus chimbais de inúmeras maneiras.

Você pode alterar seus chimbais de inúmeras maneiras.

Muitos produtores de Traps gostam de brincar com chimbais “inclinados”, especialmente em Rolls.

Por exemplo, você pode ouvir chimbais altos que mudam de tom no “Motorsport” do Migos, produzido por Murdo Beatz.



Existem algumas maneiras diferentes de brincar com os toms em seus chimbais na sua DAW.

Produtores utilizar automação, um som de chimbal secundário, ou eles vão reproduzir chimbais em um teclado em sua própria faixa MIDI.

Tocar com o posicionamento do roll também é muito divertido, especialmente ao trabalhar com um sample ou vocal de rap.

Você descobrirá que listar outros elementos rítmicos em sua faixa lhe dirá onde colocar os Rolls e as tercinas.

Para esta faixa, utilizaremos a automação para mudar o tom dos chimbais.

Inserimos um sample interessante encontrado neste pacote de 50 melhores samples de Trap sobre a faixa de bateria e moveremos os Rolls um pouco para apimentar o aspecto rítmico.

Aqui está o produto final no DAW.

https://blog.landr.com/wp-content/uploads/2020/02/Screen-Shot-2020-02-11-at-2.46.36-PM.png

Esta é a versão final da música, por isso ela também será masterizada.

É assim que a faixa soa agora:

Técnicas avançadas e inspiração

Até agora, vimos os chimbais de Trap na fórmula de compasso 4/4.

Mas e quanto aos chimbais de Trap em outras fórmulas de compasso?

Por exemplo, você pode adicionar outra dimensão ao conceito de tercina usando uma fórmula de compasso de métrica tripla como 6/8 ou 12/8.

É daí que vem a inspiração para o Trap Footwork. Este subgênero do Trap joga bem com as tercinas dentro do contexto da métrica tripla.

Repare na faixa Drank, Kush, Barz de Rashad – há uma mudança constante entre um pulso sentido em três e um pulso sentido em quatro.



Young Chop é uma lenda de Chicado, conhecido por conceber a sonoridade drill.

No exercício, os Rolls de chimbal são utilizados ​​criativamente em abundância. Quase todos os elementos do drill beat envolvem um chimbal com roll.

Basta ouvir como os Rolls são contundentes em I Don’t Like do Chief Keef.

Agora é a Sua Vez de Fazer Chimbais de Trap Marcantes

Agora você domina alguns conceitos simples que podem ser aplicados no seu DAW para adicionar chimbais de Trap na sua próxima faixa.

Lembre-se de que esses são métodos utilizados ​​por todos os produtores do mercado.

Os profissionais são vistos como tais porque sabem pegar esses conceitos e transformá-los em uma sonoridade autêntica.

É preciso prática e criatividade para ficar bom em fazer beats de trap com chimbais que realmente se destacam e complementam os samples e vocais contidos na faixa.

Tire um tempo para aprender como a automação e os efeitos de áudio podem mudar seu som.

Ouça e observe como outros produtores usam os chimbais de Trap para acentuar partes de uma faixa.

Mas acima de tudo: inspire-se, entre no estúdio e crie beats!