LANDR BLOG

Teoria musical

Como Utilizar O Modo Lídio Para Compor Músicas Melhores

Como Utilizar O Modo Lídio Para Compor Músicas Melhores

Os filmes e a TV muitas vezes transmitem a noção de que boas ideias para músicas surgem a partir da inspiração e do acaso, mas isso está longe de refletir a realidade…

Progressões de acordes, melodias e letras memoráveis ocorrem aos compositores quando eles dão às suas ideias o tempo e o espaço para se desenvolverem e quando utilizam as ferramentas certas para acessá-las.

Quanto mais ferramentas de composição você tiver à sua disposição, melhor – e mais rapidamente – você será capaz de transformar uma boa ideia em uma boa música.
Mas com tantas ferramentas e tanta teoria por aí, qual é o melhor ponto de partida?

Aqui na LANDR nós nomeamos todos os nossos mecanismos de masterização com nomes de modos musicais porque nós sabemos o quão útil eles são para todos os músicos (assim como a Masterização LANDR).

E não há modo melhor para conferir mistério, beleza e brilho à sua música do que o Modo Lídio.

Usar o Lídio te ajudará a conceber progressões de acordes e melodias com um som distinto e envolvente.

Ele é bem fácil de ser absorvido. Como vários outros elementos da teoria musical, aprender o modo Lídio é tão simples como memorizar um padrão simples de tons e semitons que são aplicáveis em todos os tons em qualquer instrumento melódico.

Usar o Lídio te ajudará a conceber progressões de acordes e melodias com um som distinto e envolvente.

Neste artigo trataremos sobre como utilizar o modo Lídio de forma efetiva na composição musical. Vamos nessa!

Os vários modos musicais (modos gregos)

Há sete modos na música. Cada um com o seu som distinto e padrão de Tons e Semitons.

Em termos de modos, as escalas maior e menor que a maioria de nós conhece e utiliza são conhecidas como modos Iônico e Eólio. Mas a utilização de outros modos te dará um resultado bastante único.

Por exemplo, o modo Lócrio confere uma marcante dissonância à sua composição. Então qual é a atmosfera criada pelo modo Lídio? Bem, o modo Lídio dará à sua composição um senso de leveza e fazer com que uma composição previsível torne-se algo enérgico e cativante para o ouvinte.

https://blog.landr.com/wp-content/uploads/2017/09/How-to-Use-The-Lydian-Mode-to-Write-Better-Songs-inpost-3.png

Como funcionam os modos na música

Talvez você ainda não esteja consciente, mas os modos provavelmente já fazem parte do seu processo criativo.

Os modos são escalas que possuem características melódicas especiais. Então se você já compôs alguma vez utilizando escalas maiores e menores você já usou modos musicais para conceber suas músicas. A única diferença é que escalas possuem nomes diferentes quando pensamos nelas enquanto modos, como você verá em breve ao usar o modo Lídio.

Talvez você ainda não esteja consciente, mas os modos provavelmente já fazem parte do seu processo criativo.

Como utilizar o modo Lídio na sua música

O modo Lídio é quase idêntico ao modo Iônico (escala maior). A única diferença é que o Lídio possui a quarta nota aumentada.

Por exemplo, se você está no tom de F maior, a quarta nota na escala será um Bb, mas no modo Lídio isso se torna um B (Si) natural. Acredite ou não, mas toda a leveza marcante desse modo provém dessa única nota alterada.

Para ajudar a demonstrar a construção desse modo, vamos utilizar uma representação de um teclado como um guia, mas sinta-se livre para aplicar tudo o que você aprender aqui ao instrumento de sua escolha.

O padrão de Tons e Semitons do modo Lídio que você aprenderá aqui pode ser facilmente transposto para um instrumento como a guitarra – um Semitom é igual a um traste da guitarra.

Eis o padrão a ser memorizado (e sentido) para construir o modo Lídio:

https://blog.landr.com/wp-content/uploads/2017/09/How-to-Use-The-Lydian-Mode-to-Write-Better-Songs-inpost-2.png

Os exemplos acima demonstram o modo Lídio no tom de F: Você moverá um tom acima e obterá um G, mais dois tons passando pelo A e B, meio-tom para ter um C, mais dois tons para ter um D e um E e finalmente mais meio-tom para ter a nota final F.

Esse exemplo não possui acidentes (sustenidos e bemóis), mas o modo Lídio construído em qualquer ou tom possuirá. Para testar o seu conhecimento, toque esse modo em outros tons ou em seu instrumento. O Lídio é ótimo para a composição de progressões de acordes, mas o seu maior brilho ocorre nas linhas vocais e melodias instrumentais. Eis as notas que formam o modo Lídio no tom de F maior:

https://blog.landr.com/wp-content/uploads/2017/09/How-to-Use-The-Lydian-Mode-to-Write-Better-Songs-inpost-1.jpg

Tomar um tempo para memorizar (e sentir) alguns simples modos impactará a sua criação de forma positiva.

O modo Lídio na música popular

O Lídio é intensamente utilizado por vários compositores de trilhas sonoras para filmes, mas há vários bons exemplos também na música popular.

Na divina música “Possibly Made” da Bjork, do álbum Post de 1995, o modo Lídio está presente na melodia vocal da introdução.

Na marcante música “Waltz #1, de Elliot Smith, o modo Lídio é usado para conferir um ar divino à toda a canção:

Um paleta de sons na ponta dos dedos

Tomar um tempo para memorizar (e sentir) alguns simples modos impactará a sua criação de forma positiva.

Muitos músicos evitam aprender o básico da teoria por acharem intimidador, ou pior, inútil!

Mas aprender como compreender, construir e executar ideias utilizando ferramentas como o modo Lídio é um conhecimento que ampliará suas perspectivas como compositor.