LANDR BLOG

Inspiração

Como separar a inspiração da representação em suas composições

Como separar a inspiração da representação em suas composições

Querer ser original é um universo bem distante de realmente lançar uma música nova e única.

Toda música é informada de alguma forma pelas músicas que vieram antes dela. Mas em uma forma de arte com tanta densidade histórica, onde a inspiração termina e a imitação começa?

É a questão mais importante para os aspirantes a músicos hoje em dia, onde tanta música está disponível tão facilmente.

Na maioria das vezes, a música que acaba encontrando uma audiência é feita por músicos que descobriram e abraçaram sua originalidade. Você pode imitar – muitos compositores e produtores fazem – mas o que você faz provavelmente não vai durar.

Então, como você toma inspiração e transforma isso em algo novo?

É fácil cair na armadilha da imitação se você não tiver descoberto quais artistas você ama e o que especificamente os influencia no trabalho deles.

Abordaremos o assunto complicado da originalidade na criação de músicas considerando dicas de como honrar suas influências musicais sem comprometer seu próprio estilo.

Defina a música que ressoa com você

Comece demorando algum tempo para identificar suas influências musicais.

É fácil cair na armadilha da imitação se você não tiver descoberto quais artistas você ama e o que especificamente te move sobre o trabalho deles.

Identificar atributos como a maneira como um artista canta ou como um artista produz sua música o ajudará de duas maneiras:

Primeiro, permitirá que você desenvolva seu próprio gosto e apreciação pela música. Isso é crucial para descobrir seu próprio estilo musical e perspectiva.

Quanto mais abertura para novas informações você tiver, mais diversificada poderá ser sua concepção quando você começar a descobrir sua própria voz. Sintetizar muitas influências diferentes em vez de imitar uma delas é uma maneira simples e eficaz de manter seu próprio som único.

https://blog.landr.com/wp-content/uploads/2019/03/MusicInfluences-_1200x627_.jpg

Em segundo lugar, descobrir em que você é atraído na música de outro artista ajudará você a explorar ideias e energia de uma maneira original e aprimorar suas habilidades de interpretação em seu processo.

Pregue suas influências e por que elas te movem. Ele lhe dará as ferramentas para entender a música que você ama, interpretá-la melhor e usá-la para encontrar um som que vá além da representação.

Reexamine o seu processo do início ao fim

Com uma melhor ideia de como usar suas influências, abrace o seu próprio processo de composição.

Examine tudo, desde a maneira como você escreve melodias e progressões de acordes até sua instrumentação preferida, até os tópicos que suas letras abordam. Se você descobrir hábitos ou ferramentas que usa apenas porque eles soam como sua música favorita, é hora de alterá-los.

Se você descobrir hábitos ou ferramentas que você usa apenas porque eles soam como sua música favorita, é hora de renovar essa postura.

Só porque um determinado instrumento ou técnica de produção funciona para outro artista, não significa que ele deve ou vai funcionar para você.

Com muita frequência, a música com muito potencial e energia é insatisfatória porque está muito próxima da identidade de outro artista. Já que uma música não vem totalmente formada, ser atencioso e livre das limitações das ideias de outra pessoa em seu processo de escrita lhe dará a melhor chance de fazer música original.

https://blog.landr.com/wp-content/uploads/2019/03/experiment-_1200x627_.jpg

Usar a inspiração para começar é fundamental, mas saber quando empurrar seu processo para um território que é todo seu é como você evita a imitação.

Veja uma lista do que você deve verificar no seu processo para separar a inspiração da imitação:

Instrumentação

Por que você favorece um instrumento em detrimento de outro?

Se você estiver constantemente buscando um violão, uma bateria eletrônica ou um controlador MIDI para fazer música, reserve um momento para refletir sobre o por quê.

Manter a instrumentação encontrada no livro de composição de outras artistas é limitante e preguiçoso. Para compositores e produtores que lutam com isso, um ótimo exercício é tentar escrever uma música simples em um instrumento totalmente estranho para você.

Mudar sua instrumentação não só ajudá-lo a pensar sobre composição e teoria de novas maneiras, você também poderá ver a influência de outros artistas que usam o mesmo equipamento.

Trate as progressões de sua influência como um conjunto de regras para a serem analisadas e superadas.

Composição de progressão de acordes

Você prefere grandes acordes exuberantes ou você é o tipo de escritor que tipicamente adere a acordes poderosos?

Suas preferências em torno da composição de acordes na música acabam tendo um impacto enorme nas texturas, melodias e atmosferas que compõem suas músicas.

Abrace a maneira como você escreve progressões de acordes em relação à música dos artistas pelos quais você é influenciado. Se eles soarem muito parecidos, faça um esforço real para mudar sua abordagem para construir acordes e escrever progressões de acordes.

Trate as progressões de sua influência como um conjunto de regras para a serem analisadas e superadas. Se você absorver a influência e externar sua abordagem, você ainda está sendo influenciado por suas escolhas, mas de uma maneira que as tornam suas de fato.

https://blog.landr.com/wp-content/uploads/2019/03/critics-_1200x627_2.jpg

Conteúdo lírico

Quando você cria letras sobre um determinado assunto, elas vêm de sua própria voz original ou da perspectiva de outra pessoa?

Como compositora, a arma mais poderosa do seu arsenal criativo é sua percepção e sua experiência individual.

Quando nos enganamos em acreditar que
tópicos abordados anteriormente são os únicos “seguros” sobre os quais escrever, essa arma é desperdiçada.

Letras são difíceis. E a vulnerabilidade é um sentimento real, que requer composições que são corajosas e abertas à sua perspectiva única, um resultado que não é possível quando você está emulando outra pessoa.

Produção

A maneira como você produz sua música pode estar transformando ideias originais em imitações sem graça.

As melhores práticas para a produção musical são um ótimo lugar para começar, mas você precisa usá-las como base para criar seu próprio som.

Se você tem o hábito de seguir os tutoriais de produção do YouTube que mostram como fazer com que sua música soe (preencha o nome do artista famoso aqui), as opções criativas que você está fazendo não são realmente suas ou tudo isso criativo para esse assunto.

As melhores práticas para a produção musical são um ótimo lugar para começar, mas você precisa usá-las como ponto de partida para encontrar sua própria variação, e não a etapa final.

Crítica crucial

Por fim, é hora de ouvir criticamente o seu trabalho. Pergunte a si mesmo: “O que é meu sobre isso?” Em vez de julgar sua música antes de ser gravada, espere até que suas músicas sejam produzidas e masterizadas para ouvir criticamente.
Não desanime se elementos que compõem sua escrita ainda parecerem não tão autênticos.

Desenvolver seu próprio estilo não acontecerá da noite para o dia. A originalidade na música é difícil de alcançar e pode levar anos para desenvolver sua própria voz verdadeira.

É importante notar que abrir sua própria trilha musical nem sempre resultará em boa música. Gravar e terminar músicas é a metade da batalha.

Encontrar sua voz criativa exclusiva é o primeiro passo. Aprender a transformar essa originalidade em boa música vem depois.

Desenvolver seu próprio estilo não acontecerá da noite para o dia.

Experimento, experimento, experimento

Agora que você identificou como suas influências afetam seu processo, é hora de fazer algumas experiências sérias.

Esta é de longe a parte mais importante da criação de músicas únicas. A verdadeira experimentação musical acontece quando podemos deixar de lado as expectativas e as idéias rígidas de como a música deveria soar.

Armado com o novo insight musical que você tem sobre suas influências, você poderá experimentar livremente.

Descobrir o que funciona e o que vai de encontro à sua própria sensibilidade na composição é crucial para desenvolver sua própria voz.

Primeiro vem a influência, depois, você.