LANDR BLOG

Mixagem e masterização

Como Melhor Referenciar sua Mixagem com a Masterização IIimitada da LANDR

Como Melhor Referenciar sua Mixagem com a Masterização IIimitada da LANDR

Nosso poderoso mecanismo de masterização baseado em IA ouve a sua música e oferece música cristalina com qualidade de estúdio que está pronta para o lançamento. Domine uma faixa. Domine uma faixa

Masterização ilimitada significa melhores faixas de referência e uma melhor mix.

Referenciar uma mixagem … Se você faz música, você provavelmente já ouviu falar disso. A maioria dos engenheiros e artistas fazem isso de alguma forma. Em essência, o referenciamento de mixagem consiste na arte de verificar a sua mix.

Mas o referenciamento de mixagem, como já sabemos, está desfrutando de um novo momento – tudo graças aos avanços na tecnologia e acesso à masterização ilimitada.

A referência de mixagem tradicional dependia fortemente de referenciar sua própria faixa a partir de uma faixa diferente já masterizada. Mas graças ao poder da masterização ilimitada e instantânea os artistas agora têm acesso a um feedback gerado imediatamente usando suas próprias mixagens.

Por se tratar de um novo conceito, nós nos empenhamos em abordar todas as novas possibilidades de referência de mixagem e destacamos como a masterização ilimitada pode te ajudar ao longo do  seu fluxo de trabalho.

https://blog.landr.com/wp-content/uploads/2017/09/mix-ref-guide-inpost-1-1.png

O Que é Referenciamento de Mixagem?

O termo referenciamento de mixagem é bastante amplo. Ele pode significar comparar sua mix com outra música para observar como ela se comporta sonoramente.

Ele também pode consistir na verificação da sua mix em diferentes ambientes de audição com o objetivo ouvir como ela soa quando reproduzida nestes diferentes cenários.

O sistema clássico para testes de audição inclui:

  • No carro
  • Em mono
  • Pequenos alto-falantes (talvez até apenas o tweeter)
  • Fones de ouvido
  • Alto-falantes para laptop
  • Até o alto-falante do seu telefone celular

Estes são os ambientes mais importantes pois são neles que 90% dos fãs vão ouvir a sua música!

Masterização: Uma nova abordagem para o referenciamento de mixagem

Até agora, o referenciamento de mixagem  lidou principalmente com a sua “mix”. O que normalmente significa um salto grande na sua DAW – ainda inacabada e não masterizada. Mas a masterização rápida mudou tudo isso.

Com a introdução da masterização instantânea, o referenciamento de mixagem pode agora aproveitar os benefícios da masterização ao longo do processo.

Aqui estão algumas maneiras inteligentes de usar a masterização ilimitada como uma ferramenta de feedback de mixagem para corrigir alguns problemas comuns.

https://blog.landr.com/wp-content/uploads/2017/09/mix-ref-guide-inpost-2.png

Projetando os seus kicks em execesso na mix

Todo mundo quer um kick que atravesse a mixagem de forma consistente e que confira pulsação à faixa. Mas elevar os seus faders para obter grandes kicks durante a fase de mixagem pode afetar negativamente sua masterização.

Mixar em alto falantes ou headphones pequenos ou inferiores aos ideais o ponto fraco mais comum. O kick pode soar limpo durante a mixagem, mas a masterização sai com uma distorção audível no kick.

Use a LANDR para encontrar esse ponto onde seu kick ainda está batendo forte sem distorção na faixa.

Isso irá ajudá-lo a melhorar o uso de compressão e níveis de empurrão na sua mix.

Adicionando um pouco mais de compressão no seu kick na mixagem pode te ajudar a evitar os duros efeitos da limitação causados pelo processo de masterização. Adicionar pequenas quantidades de compressão em diferentes estágios no processo da mixagem funciona melhor do que adicionar mais no final.

Masterizar a cada vez que você fizer ajustes irá guiá-lo através do processo e ensiná-lo quando e onde adicionar compressão em sua mix. Ouça a procura de distorção na faixa e ajuste suas configurações em cada etapa. Veja como o processo soa em ação …

Este é um exemplo de um kick que é projetado em execesso durante a fase de mixagem:

O kick vibrante pode parecer até bom na sua mix, mas não se surpreenda se ele soar distorcido na primeira masterização de teste:

Agora ouça o mix depois de reduzir levemente o kick e aplicar uma ligeira compressão com base no que ouvimos na masterização:

O kick ainda está presente, mas é mais limpo e atravessa a mixagem com muito mais consistência. Nem muito alto nem muito baixo mas bem no ponto…

Talvez o kick não soe mais tão tenaz na mixagem, mas é aí que entra a masterização. Ouça como soa a nova masterização:

O baixo consumindo todo o seu headroom:

O baixo é a parte mais difícil de ser bem acomodada em uma mixagem. Um dos maiores problemas nas configurações de monitoramento doméstico é imprecisão e/ou falta de baixo na reprodução.

Quando uma música com baixos pesados (como o trap e tipos de EDM) é reproduzida nesses referidos ambientes, alguns problemas podem surgir

Se você acha que o baixo não está suficientemente alto na sua mix, a tendência é de que você aumente os até que você os ouça (não minta, todos nós fizemos isso). Esta é uma idéia especialmente ruim quando trabalhamos com um baixo tradicional do tipo 808 que é fundamental para muitas músicas nos dias de hoje.

https://blog.landr.com/wp-content/uploads/2017/09/mix-ref-guide-inpost-3-1.png

Muitas vezes, eles são afinados em níveis bem baixos (entre 20 a 40Hz) e têm pouca informação harmônica. Simplificando, isso significa que nossos ouvidos não podem usar os harmônicos para induzir nosso cérebro a ouvir o tom fundamental.

Aumentar os níveis para ouvir a linha de baixo em sua mix vai afetar todo o seu headroom rapidamente.

Aumentar os níveis para ouvir a linha de baixo em sua mix vai afetar todo o seu headroom rapidamente. Durante a masterização o baixo vai entrar em conflito com o limiter e você vai ouvi-lo com distorção.

Então, qual é a solução? Uma combinação de referência de mixagem, alguns EQs e saturação, além de masterização e melhoria do seu ambiente de monitoramento (experimente headphones) ajudarão.

Veja como usar sua masterização para verificar o seu low-end e consertar sua mix. Essa mix tem uma linha de baixo que é projetada em excesso. Toneladas de sub-frequências fazem com que o low-end soe muddy:

Aumentar todas essas sub-frequências apenas para que você possa ouvir a linha de baixo em sua mix  irá comprometer o valioso headroom que você precisa para uma boa faixa. Assim, a masterização desta mix vai soar distorcida e bem abaixo do ideal no low end:

Depois de referenciar a masterização fica claro que o baixo precisa de alguns ajustes na mix. Com base no que ouvi na masterização, voltei à faixa e usei o Maxxbass para adicionar alguns harmônicos no baixo.

Alguns EQ simples também podem ser úteis, bem como uma alguma saturação leve para ajudar o 808 a se destacar ligeiramente na mix sem que os outros níveis sejam pressionados.

Ouça como soa a mix corrigida:

Mas ainda não terminamos. Verifique sempre suas novas decisões de mixagem com outra masterização  para garantir que o novo processamento tenha o efeito desejado e que corrigiu o problema. Aqui está o mestre da nova mix:

A linha de baixo é mais limpa e se destaca sem comprometer o headroom no resto da sua faixa. O resultado é uma melhor mixagem geral bem como uma melhor masterização.

O fluxo de trabalho da “Masterização Frequente”:

É claro que a utilização da masterização para referência de mixagem não precisa ser tão específica. Masterizar ao longo do seu fluxo de trabalho vai te ajuda de várias maneiras, tais como:

  • Decidir em que direção sua mix está indo
  • Fazer progressos em suas mixes ao criar versões de seus projetos
  • Experimentar com idéias de mix e correções
  • Ter uma ideia do seu resultado final masterizado
  • Testar suas versões de mixagem e masterização em vários cenários de reprodução

Estas são apenas algumas das maneiras de inserir masterizações diversas em seu processo. Eis como o processo de 3 etapas ‘masterize frequentemente’ pode parecer em uma sessão típica:

Fase 1: Níveis de mixagem preliminar

https://blog.landr.com/wp-content/uploads/2017/09/mix-ref-guide-inpost-4-1.png

Você terminou de escrever, de editar e de arranjar. Ótimo, é aí que começa a diversão.

Comece sua mix com alguns níveis básicos de fader. Tente criar uma mix mais forte usando apenas faders antes mesmo de pensar em aplicar processamentos e efeitos.

Configurar os níveis de fader de maneira inteligente com antecedência irá ajudá-lo a ouvir e compreender os sons brutos antes de se aprofundar no processamento.

Uma vez que você sinte que tem uma base consistente para a sua mix, exporte-a “crua” da sua DAW e execute-a através da LANDR.

Faça uma pausa, tome um café, pegue um pouco de ar. Volte com a mente arejada e ouça a faixa masterizada.

Faça uma pausa, tome um café, pegue um pouco de ar. Volte com a mente arejada e ouça a faixa masterizada. Ela soa compatível com o que você imaginou? Sua faixa está realmente de acordo com todas as suas decisões preliminares de mixagem?

Conhecer Conhecer a sua mixagem preliminar com uma masterização rápida te ajudará com suas decisões de mixagem posteriores, então mantenha então mantenha essa versão para facilitar a consulta ao iniciar o processamento.

A menos que você seja Dave Pensado, é provável que você ainda esteja longe terminar, mas você está muito melhor equipado para começar o restante da sua mix. Todas as decisões que você tomar a partir daqui serão mais fáceis porque você estabeleceu essa fundação.

Faça ajustes e repita  até ficar satisfeito com o aspecto inicial.

Fase 2: Mixagem Preliminar Criativa

Uma vez que você tem a base, comece aplicar efeitos criativos de áudio (delay, phaser, coro, etc), e um pouco de compressão leve, equalização, panning e tudo o que você precisar para conceber a sonoridade almejada.

Tenha cuidado para sempre mixar com headroom, caso contrário você provavelmente irá se deparar com a distorção. Não force os seus medidores VST e tente manter o seu master fader em torno de -10 a -15 para que você tenha headroom suficiente para as próximas fases da mixagem.

https://blog.landr.com/wp-content/uploads/2017/09/mix-ref-guide-inpost-5-1.png

Depois de ter aplicado seus efeitos básicos e a compressão. Envie sua mix para a LANDR e ouça. Existe alguma distorção? Você está indo na direção certa? A energia está no low end da maneira que você quer?

Lembre-se, terminações e camadas de efeitos criativos serão muitas vezes potencializadas durante a fase de masterização. É importante verificar se você não está aplicando seus efeitos exageradamente durante esta fase e se está fazendo os ajustes necessários com base em como a sua música soa.

Neste ponto, você já deve estar planejando como concluir sua faixa.

Fase 3: Finalização

Sua mix está começando a tomar forma! Então já é hora de planejar como finalizá-la.

As questões que você deve se perguntar são:

  • Como está meu dynamic range?
  • O baixo está sendo executado do jeito que eu quero?
  • Todos os elementos da mix estão audíveis?
  • Eu quero que todos os elementos sejam audíveis ou há alguns que deveriam estar mais em segundo plano?
  • Meus efeitos realizam a função pretendida? Ou eles estão comprometendo a idéia original que tive na minha primeira faixa?

Exporte sua faixa para a LANDR sempre que necessário e ouça em diferentes ambientes (incluindo em carros e com fones de ouvido).

Faça as perguntas acima em diferentes ambientes.

Tenha em mente que você trabalhando intensamente para conceber uma mix final perfeita. Lide com problemas específicos após cada passo da masterização e ouça. Sua faixa de referência deve orientar suas decisões de mixagem. Mesmo o menor ajuste pode alterar sua faixa, então verifique com antecedência e com freqüência.

Concentre-se na “qualidade” de elementos individuais. Por exemplo, o kick parece vazio quando você ouve a versão masterizada no carro?

Volte para a mixagem e jogue com o EQ e com a compressão até encontrar chegar no ponto. Exporte, masterize e volte para a audição no carro.

https://blog.landr.com/wp-content/uploads/2017/09/mix-ref-guide-inpost-6.png

Pronto para Qualquer Coisa

Quando todos os elementos individuais estiverem soando bem e fazendo sentido como um todo você estará no estágio final. Nesse momento você deve estar fazendo pequenas e rápidas modificações. Masterize e ouça o máximo possível. Compartilhe suas versões e traga alguns amigos para as suas sessões de escuta para receber o feedback deles.

Só você pode decidir quando você realmente finalizou, o segredo é ter bons referenciais e saber ao que ouvir.

Mixagem é rigorosidade. A masterização instantânea te dá um feedback valioso sobre a forma como a sua faixa soará.

Então, faça referências com frequência e aproveite os privilégios que a masterização instantânea ilimitada oferece – ela não é mais somente o último passo.

Masterização e distribuição ilimitadas, 1.200 samples livres de royalties, 30+ plug-ins e muito mais! <a href="https://www.landr.com/pt/preco/?utm_campaign=acquisition_platform_en_us_studio-generic-new-blog-ad&amp;utm_medium=organic_post&amp;utm_source=blog&amp;utm_content=left-hand-generic-ad&amp;utm_term=general">Obtenha tudo o que a LANDR tem a oferecer com o LANDR Studio.</a>

Masterização e distribuição ilimitadas, 1.200 samples livres de royalties, 30+ plug-ins e muito mais! Obtenha tudo o que a LANDR tem a oferecer com o LANDR Studio.

Gabriel Valente

Gabriel é um músico apaixonado pelas paisagens sonoras do Brasil. Recém radicado em Montreal, ama pedalar pelas ruas da cidade e acredita na força do som e dos encontros.

@Gabriel Valente

Receba guias de equipamento, dicas de mixagem, os melhores plug-ins gratuitos e muito mais na sua caixa de entrada todas as semanas.

As últimas novidades da LANDR