LANDR BLOG

Criação de batidasGravaçãoMixagem e masterização

Como equalizar o Kick e o Bass para um melhor Low End

Preview of youtube video

Todos nós gostaríamos de saber como equalizar o kick e o bass perfeitamente. Você quer aquele som sólido, aquele low end consistente que se projeta das caixas com toda a força dos graves e dos subgraves?

Não é fácil ter o kick e o bass nos lugares certos. Um low end ruim é o sinal mais evidente que uma track foi mixada por um engenheiro sem inexperiente.

Mas com um pouco de sensibilidade, é simples aprender a mixar o kick e o bass da forma correta.

Nesse artigo, vamos te mostrar algumas das melhores maneiras de equalizar o kick e o bass pra ter aquele low end que você tanto procura.

Antes de começarmos, as frequências que abordamos aqui devem ser vistas tão somente como simples guias. Não faça algo só porque alguém te falou pra fazer, ou porque você “sempre faz isso”. Use a informação desse artigo pra te ajudar a encontrar as definições de EQ que se ajustam à identidade da suas faixas.

Lembre-se: seus ouvidos são sempre o primeiro ponto de referência para cada decisão durante a mixagem.

Aprenda sobre a acústica do seu ambiente

muddy listening environment

Jamais subestime os efeitos potenciais do ambiente no qual você ouve a música.

Não há dúvidas de que os monitores que você escolhe são importantes. Mas numa sala acusticamente ruim, mesmo os melhores monitores não são capazes de fazer soar o seu mix daquele jeito excepcional.

Se você insistir em aperfeiçoar o seu mix em uma sala mal sonorizada – cedo ou tarde você vai se dar conta de vários problemas quando ouvir o mesmo mix em um ambiente diferente.

Se você insistir em aperfeiçoar o seu mix em uma sala mal sonorizada – cedo ou tarde você vai se dar conta de vários problemas quando ouvir o mesmo mix em um ambiente diferente.

É justamente por isso que os estúdio gastam tanto em tratamento acústico. Quando mais “flat” for a resposta acústica da sua sala, mais fácil é obter o resultado de um mix que soe bem em qualquer sistema de som.

Isso vale especialmente para o low end e logo também para o kick and bass.

Como julgar um low end

E se você não tiver um ambiente de mixagem com uma acústica perfeita?

Não é o fim do mundo.

Faça um esforço para saber o que está acontecendo no seu espaço em termos de acústica para assim conceber o low end que você procura.

Para julgar de forma precisa o low end em uma sala com acústica não tratada, você deve:

  • Ter diferentes referenciais: Analisar as suas faixas em ambientes diversos vai te ajudar a ter uma idéia de quais são os pontos fracos da sua sala.
  • Use bons headphones abertos para analisar os graves: se você já sabe que a sua sala tem problemas de acústica, um bom par de headphones podem te ajudar a tomar boas decisões durante a mixagem.
  • Aprenda a identificar as faixas de frequência: Se você tem uma boa idéia de quais frequências apresentam problemas, logo vai tomar o devido cuidado ao equaliza-las.

Tendo isso em mente, vamos falar sobre EQ!

Como equalizar o Kick e o Bass

Filtros passa-alta

Quando você começa a equalizar, as vezes parece que basta aumentar o low end pra ter aquele grave denso e consistente que nós tanto procuramos.

Na verdade, muita energia no low end pode acabar fazendo com que sua faixa soe mais fraca.
Eis o porquê:

Todos os sistemas de alto-falantes possuem um limite na reprodução dos graves. Caso exista muita informação sonora em frequências mais baixas do que as que o seu som é capaz reproduzir, muita energia vai ser desperdiçada.

Isso faz com que seu alto-falante trabalhe de forma ineficiente, afetando de várias formas todo o espectro sonoro.

Para evitar que isso aconteça, você deve controlar os seus graves.

Selecione no seu EQ um display visual das frequências no seu kick e no seu bass. Se existe muita atividade nas baixas frequências, o seu mix pode estar sendo afetado

Quase nenhum alto-falante pode reproduzir sons abaixo da frequência de 20-30 Hz. Para se livrar desses sub-sub-graves use um filtro passa-alta.

Aqui está um filtro passa-alta de 48 db/oitava a 30Hz numa faixa de bass:

48 db/octave high-pass at 30 Hz

Feche os olhos e mova o filtro até você começar a escutar um impacto negativo no som.

Você pode se surpreender ao notar o quanto de sub-grave você pode filtrar e ainda assim sentir um low-end poderoso!

Feche os olhos e mova o filtro até você começar a escutar um impacto negativo no som. Você pode se surpreender ao notar o quanto de sub-grave você pode filtrar e ainda assim sentir um low-end poderoso!

Limpando o espaço

Equalizar uma faixa é como montar um quebra-cabeça. Você tem que mudar as peças de lugar e ajustá-las no espaço.

Se você quer que o seu kick soe marcante, você precisa criar um espaço pra ele no seu mix.

O mesmo se aplica ao seu baixo: se não existir um espaço próprio para ele você não vai chegar naquela tão sonhada consistência sonora.

Talvez as suas faixas soem muito bem separadamente, mas quando juntas (com todo o mix) elas ficam saturadas e sem energia.

Pra lidar com isso, você precisa esculpir as frequências de maneira precisa.

Identifique os problemas. Se os graves soam saturados e inconsistentes, o problema pode estar nos espectros dos médios e dos graves: 200-500Hz.

É de esperar que você queira deixar uma boa parte desse espectro para os médios produzidos por certos instrumentos.

Guitarras, algumas tonalidades de sintetizadores e até mesmo os vocais têm boa parte de suas respectivas energias sonoras provenientes das médias frequências

Isso significa que dependendo do seu ponto de partida, você pode ter que retirar parte desse espectro do seu kick e do seu bass.

Aqui vai um exemplo, um corte de 200Hz em um bumbo:

Cutting low-mids at 200 Hz

Você quer que os instrumentos que fazem parte do low end tenham todo o protagonismo nas baixas frequências. Isso porque as frequências fundamentais do seu kick e do seu bass são justamente as que compõem o grave essencial.

Energia das baixas frequências nos instrumentos de espectro médio são dispensáveis e tendem a não contribuir para um bom som.

Reduza esse espectro nos outros instrumentos e dê ao kick e ao bass o espaço que eles necessitam.

Nem tudo são graves

Os graves são a fundação de uma boa faixa de kick e de bass, mas nem tudo se resume neles.

Kicks e basses com presença e textura comumente também possuem energia em outros espectros de frequência.

Kicks e basses com presença e textura comumente também possuem energia em outros espectros de frequência.

Por exemplo, o “ponto” do bumbo que confere a sensação de ataque se encontra geralmente nos espectros médios. Se você não levar essas frequências em consideração ao equalizar, o seu kick nunca vai soar presente no mix.

Eu adicionei 6dB ao redor de 2kHz para enfatizar a presença do kick:

2kHz boost

Da mesma forma, muitos baixos também precisam de ênfase em seus agudos para projetarem ataque e articulação.

Experimente com o equalizador em outra faixa de frequências que não as graves para analisar quais outras realçam o kick e o bass.

É bem tranquilo

Equalizar kick e bass é uma das partes mais desafiantes na mixagem de uma faixa.

Com um pouco de ajuda e experiência você chega lá.

Tente aplicar essas dicas na sua próxima faixa, o seu low end agradece!